Quinta, 23 de Novembro de 2017
1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 Rating 0.50 (1 Vote)
1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 Rating 0.00 (0 Votes)

1941

20.01 (segunda) - As aviações da Marinha e do Exército são reunidas em um comando único, a nascente Força Aérea Brasileira (FAB), sob a égide do recém-criado Ministério da Aeronáutica.

15.06 (domingo) - A Força Tarefa 3 (comandada pelo Contra-Almirante Jonas H. Ingram) começa a patrulhar as operações dos portos de Recife e Salvador; a Força consiste de quatro cruzadores leves classe Omaha e cinco destróiers.

18.08 (segunda) - O Pres. Roosevelt anuncia que os EUA estão transportando aviões de combate para o Norte da África via Brasil e África.

10.12 (quarta) - Catalinas (Esq. VP-52) suportados pelos tênders USS GREENE (AVD-13) e USS THRUSH (AVP-3), começam as patrulhas anti-submarino no Atlântico Sul, desde Natal (RN), inaugurando assim as operações em águas brasileiras.

 

1942

05.01 (segunda) - Os 2º Tenentes Aviadores José Carlos de Miranda Corrêa, Oscar de Souza Spínola Junior e Josino Maia de Assis recebem, no Campo dos Affonsos, o diploma de conclusão do curso de oficial aviador em 1941.

 

15.01 (quinta) - A Terceira Reunião de Consulta dos Chanceleres das Repúblicas Americanas acontece no Rio de Janeiro, para assegurar uma resolução unânime e garantida de que as Repúblicas Americanas romperiam relações com as potências do Eixo.

 

21.01 (quarta) - O Ministério da Aeronáutica definiu a classificação das Bases Aéreas segundo a importância de suas instalações atuais: 1ª classe: Affonsos, Galeão, Curitiba e Porto Alegre. 2ª classe: Belém, Recife, Santos e  Florianópolis. 3ª classe: Belo Horizonte, Campo Grande, Rio Grande, Fortaleza e São Paulo.

 

28.01 (quarta) - O Governo Brasileiro atende a resolução nº 15 da Segunda Reunião de Consulta dos Chanceleres das Repúblicas Americanas e rompe relações diplomáticas com os países do Eixo.

 

07.02 (sábado) - Chegou a Porto Alegre, pilotado pelo Major Nero Moura e o Capitão Oswaldo Pamplona,.o Lodestar da FAB recém adquirido dos EUA.

 

09.02 (segunda) - Publicado no Diário Oficial da União, o Decreto-Lei nº 4.099 que aprova o plano geral de uniformes para os oficiais e praças da Aeronáutica.

 

15.02 (domingo) - Torpedeado o navio Buarque.

 

18.02 (quarta) - Torpedeado o navio Olinda.

 

25.02 (quarta) - Torpedeado o navio Cabedello.

 

07.03 (sábado) - Torpedeado o navio Arabutan.

 

08.03 (domingo) - Torpedeado o navio Cayrú.

 

07.04 (terça) - A primeira divisão da VP-83 chega a Natal (RN)

 

11.04 (sábado) A primeira divisão da VP-83 inicia sua atividades de busca e patrulha

 

15.04 (quarta) - Instalado um destacamento do exército em Fernando de Noronha

 

Abril de 1942 - São descobertos no Rio de Janeiro centrais de rádio. Elas estavam equipadas com modernos equipamentos alemães, e tinham a função de reportar o que estava acontecendo, bem como as posições dos navios em rota de abastecimento para o Norte da África.

 

01.05 (sexta) - Torpedeado o navio Parnahyba.

 

18.05 (segunda) - Torpedeado o navio Comandante Lyra.

 

22.05 (sexta) - Um B-25 Mitchell operando na Base Aérea de Fortaleza estava em patrulha próximo à costa onde o navio Com. Lira havia sido torpedeado dias antes pelo submarino Barbarigo. As 14:00, a tripulação do B-25 comandado pelos Capitães Parreiras Horta e Oswaldo Pamplona encontrou um submarino na tona, que imediatamente começou a atirar no B-25 com metralhadoras. Como o Brasil era neutro, as regras de combate só poderiam ser usadas se o inimigo atacasse primeiro. A tripulação do B-25 lançou cargas de profundidade que caíram próximo ao submarino mas não o danificaram.

 

23.05 (sábado) - É instituída a Comissão Mista de Defesa Brasil-Estados Unidos.

 

24.05 (domingo) - Torpedeado o navio Gonçalves Dias.

 

01.06 (segunda) - Torpedeado o navio Alegrete.

 

05.06 (sexta) - Torpedeados os navios Paracuri e um pesqueiro.

 

26.06 (sexta) - Torpedeado o navio Pedrinhas.

 

25.07 (sábado) - Torpedeado o navio Tamandaré.

 

28.07 (terça) - Torpedeados os navios Piave e Barbacena.

 

15.08 (sábado) - Torpedeados os navios Baependy e Araraquara.

 

16.08 (domingo) - Torpedeado o navio Annibal Benévolo.

 

17.08 (segunda) - Torpedeados os navios Itagiba, Arará e um pesqueiro.

 

18.08 (terça) - O Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP) publica nota esclarecendo à população os torpedeamentos.

 

19.08 (quarta) - Torpedeado o navio Jacira.

 

22.08 (sábado) - Face a agressão, o Brasil após reunião do Ministério reconhece a situação de beligerância contra a Alemanha e Itália. Fundado o Centro de Preparação de Oficiais da Reserva da Aeronáutica.

 

24.08 (segunda) - A rádio de Berlim irradia para o Brasil um comentário falso sobre o estado de beligerância.

 

26.08 (quarta) - A tripulação do Vultee V-11 GB2, operando da Base Aérea de Porto Alegre, comandado por Alfredo Gonçalves Corrêa atacou um U-Boat próximo a Araranguá (SC). O U-Boat foi atingido e adernou bastante, mas a aeronave também foi danificada quando as bombas explodiram. A aeronave retornou em segurança para o aeroporto de Osório (RS) e não para sua base.

 

28.08 (sexta) - A tripulação do Vultee V-11 GB2 de Manuel Rogério de Souza Coelho atacou um submarino inimigo próximo a Iguape (SP) sem reportar qualquer dano.

 

31.08 (segunda) - Através do Decreto Lei 10.358, o governo declara o estado de guerra para todo o Brasil.

 

05.09 (sábado) - Criado o primeiro comboio regular entre portos brasileiros.

 

07.09 (segunda) - A polícia encontra no Rio de Janeiro, em uma grande operação, bombas-relógio escondidas em vários lugares estratégicos, no lugar em que aconteceria a parada militar da Independência. Alguns sabotadores são presos.

 

12.09 (sábado) - O Brasil coloca sua força naval sob o controle operacional da Marinha dos EUA, cujo comando é do Almirante Jonas Ingram.

 

27.09 (domingo) - Torpedeados os navios Ozório e Lages.

 

28.09 (segunda) - Torpedeado o navio Antonico.

 

03.11 (terça) - Torpedeado o navio Porto Alegre.

 

22.11 (domingo) - Torpedeado o navio Apalóide.

 

02.12 (quarta) - São estabelecidas no Rio de Janeiro a Base de Operações Navais e a Base Aérea Naval.

 
1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 Rating 0.00 (0 Votes)

16.01 (sábado) - A Ala Aérea 16 dos EUA foi designada para operar nas bases brasileiras.

29.01 (sexta) - Os Presidentes Vargas e Roosevelt reunem-se em NATAL para efetivarem a participação do Brasil na Guerra, através de uma Força Expedicionária.

14.02 (domingo) - A tripulação de Walter Newmayer de Recife (PE) atacou um U-Boat e provavelmente o danificou levemente.

18.02 (quinta) - Torpedeado o navio Brasilóide.

19.02 (sexta) - A tripulação de Aquino atacou um submarino mas não houve registro de danos.

02.03 (terça) - Torpedeado o navio Affonso Penna.

11.03 (quinta) - O Chefe da Missão Naval Americana, Contra-Almirante Beauregard, envia ao ministro da Aeronáutica, Salgado Filho, memorando sobre a participação da FAB na guerra.

26.03 (sexta) - É estabelecida a Base de Operação Naval em Belém (PA).

27.03 (sábado) - São estabelecidas a Base Aérea Naval de Natal (RN) e as Bases de Operação Naval de Vitória (ES), Florianópolis (SC), Fortaleza (CE), Maceió (AL), Recife (PE), Rio Grande (RS), Santos (SP) e São Luiz (MA).

05.04 (segunda) - Um A-28 Hudson, operando de Salvador (BA), com a tripulação de Ivo Gastaldoni, fez um ataque a um U-Boat na tona com cargas de profundidade, cerca de 60 km da costa de Aracaju (SE). Uma grande mancha de óleo foi vista no mar, após o ataque, o U-Boat foi seriamente atingido senão afundado.

14.04 (quarta) - A Ala Aérea 16 se transfere de Norfolk para Natal (RN) para coordenar as patrulhas aéreas anti-submarino.

08.05 (sábado) - A tripulação do B-18 de Zamir de Barros Pinto, operando de Recife (PE), atacou o U-154, que estava pronto para atacar o navio mercante brasileiro MOTOCARLINE. O U-154 perdeu sua chance ao submergir para evitar o ataque. O avião brasileiro escoltou o navio até o Brasil com sucesso.

01.07 (quinta) - Torpedeado o navio Tutóya.

03.07 (sábado) - Um A-28 Hudson, operando da Base Aérea de Santa Cruz, com a tripulação de Clovis Lambre de Lemos, atacou o U-199 sem causar quaisquer danos.

04.07 (domingo) - Torpedeado o navio Pelotaslóide.

09.07 (sexta) - O U-590 é afundado por um Catalina do Esq. VP-94, próximo ao estuário do Rio Amazonas, 5 dias após ter afundado o PELOTASLÓIDE.

14.07 (quarta) - O Almirante Aristides Guilhem, Ministro da Marinha, denuncia ao Presidente Getúlio Vargas que os navios argentinos estavam espionando a movimentação dos barcos brasileiros.

19.07 (segunda) - O U-513 é afundado por um Mariner do Esq. VP-74, operando de um tênder, próximo a São Francisco do Sul, 18 dias após ter afundado o TUTÓYA.

22.07 (quinta) - Afundado o pesqueiro Shangri-lá.

25.07 (domingo) - Mussolini é obrigado a renunciar.

31.07 (sábado) - Ao amanhecer, um Mariner do Esq. VP-74, baseado no Rio de Janeiro, localizou e atacou o U-199. O U-Boat foi danificado mas não afundou e começou a atirar desesperadamente no avião americano. As defesas brasileiras foram alertadas e um Hudson brasileiro, com a tripulação de Sérgio Cândido Schnoor rapidamente decolou do Rio de Janeiro. Ele atacou o U-199 com duas bombas Mk 17 que caíram próximas ao U-Boat, em uma segunda passada Schnoor começou a atirar contra o U-199 com as metralhadoras de proa matando alguns tripulantes que estavam na torre de comando. Em seguida, outro avião brasileiro, um Catalina, com a tripulação de Alberto Martins TORRES, que estava voando nas proximidades veio ajudar, já que Schnoor não dispunha mais de bombas e o U-199 continuava atirando para cima das aeronaves nas redondezas. Torres bombardeou o U-199 com bombas Mk 44 e o U-199 finalmente, após uma longa batalha, começou a afundar a 87 km ao sul do Pão de Açucar no Rio de Janeiro. O avião, que depois foi batizado de ARARÁ em homenagem aos tripulantes do navio de mesmo nome que foi afundado em 17.08.1942 pelo U-507 enquanto tentava resgatar os marinheiros do navio brasileiro Itagiba afundado anteriormente, era comandado pelo único brasileiro que comprovadamente afundou um submarino alemão e que depois viria a fazer parte do 1º Grupo de Caça totalizando 99 missões ofensivas.

01.08 (domingo) - A Parte libertada no sul da Itália, rende-se aos aliados. Torpedeado o navio Bagé

09.08 (segunda) - É criada pela Portaria Ministerial nº 47-44, a 1ª DIVISÃO DA INFANTARIA EXPEDICIONÁRIA, tendo o General Dutra convidado o General Mascarenhas de Morais para comandá-la.

26.09 (domingo) - É estabelecida a Base de Operação Naval em Natal (RN). Torpedeados os navios Itapagé e Cisne Branco.

27.09 (segunda) - O início das operações aeronavais no Atlântico Sul é marcada pela chegada do dirigível K-84, do Esquadrão Blimp 41 em Fortaleza (CE).

01.10 (sexta) - É estabelecida a Base Aérea Naval de Recife (PE) | Os aliados ocupam Nápoles | Início do Curso da USBATU (United States Brazilian Air Training Unit) em Natal (RN).

14.10.1943 (quinta) - É estabelecida a Base Aérea Naval de Igarape Assú

23.10 (sábado) - Torpedeado o navio Campos.

30.10 (sábado) - A tripulação de Dionísio Cerqueira de Taunnay atacou o U-170 com sucesso. O U-170 foi seriamente danificado mas conseguiu escapar. O brasileiros também foram bastante atingidos mas conseguiram retornar à base. Este foi o último ataque feito por aviões brasileiros contra U-Boats.

10.11 (quarta) - O governo brasileiro lançou uma campanha de recrutamento para o combate ao Eixo na II Guerra Mundial. Com slogans como "Abrindo caminho para a vitória" e "O Brasil de hoje defende o Brasil de amanhã", o general Eurico Dutra, fundador da Força Expedicionária Brasileira (FEB), pretende levar 100 mil homens para o palco de operações. O governo americano, que fornecerá equipamentos e treinamento à tropa, no entanto. só quer que o país envie um contingente de 60 mil pracinhas. Como já ocorre nos Estados Unidos, o Brasil começou a vender bônus de guerra, que rendem 6% ao ano.

23.11 (terça) - Criada a Força Expedicionária Brasileira - FEB.

26.11 (sexta) - São estabelecidas as Bases Aéreas Navais de Amapá (AP), Aratu (BA) e Belém (PA), e Bases Aéreas Navais (dirigíveis) em Fernando de Noronha, Fortaleza (CE) e Ipitanga.

03.12 (sexta) - É estabelecida a Base Aérea Naval de São Luiz (MA).

18.12 (sábado) - Criado o 1º GRUPO DE AVIAÇÃO DE CAÇA, tendo o seu comandante Major NERO MOURA, sido nomeado no dia 27.12.43 (segunda).

1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 Rating 0.00 (0 Votes)

02.01 (terça) - Morre o Ten. MEDEIROS, em Alessandria, após saltar de para-quedas e cair sobre os fios de alta tensão. Era a missão 138 do Grupo e a sua 32ª.

22.01 (segunda) - Morre o Ten. AURÉLIO, próximo a Milão. Após ser atingido pela Flak, aparentemente foi ferido mortalmente pois não conseguiu sair do seu P-47 que acabou por se chocar contra o solo. Era a missão 178 do Grupo e a sua 16ª.

08.02 (quinta) - A FEB envia o 5º escalão 5.128 homens para a Itália a bordo do USS GENERAL MEIGS (AP-116) que foi escoltado pelos cruzador USS MARBLEHEAD (CL-12) e pelos contratorpedeiros MARIZ E BARROS e GREENHALGH. Compunham esse escalão: 247 oficiais, 4.835 praças e 46 diversos (dentre eles o correspondente de guerra Thassílio Augusto de Campos Mitke - Agência Nacional).

20.02 (terça) - Os aviões da FAB arrasam a resistência alemã em Mazzacana, abrindo caminho para o último ataque da FEB ao Monte Castelo.

21.02 (quarta) - A FEB (1º RI - Regimento Sampaio, II/11º RI, toda a Artilharia Divisionária e duas companhias do 9º Batalhão de Engenharia) CONQUISTA MONTE CASTELO.

22.02 (quinta) - Chega no Porto de Nápoles o 5º escalão da FEB que é transferido para a área de Staffoli. Essa área passou a ser conhecida como Depósito de Pessoal ao qual se incorporou o contingente do 4º escalão.

05.03 (segunda) - A FEB (6º e 11º RI mais a Artilharia Divisionária e 2 companhias do 9º BE) ocupa Castelnuovo.

15.03 (quinta) - A 1ª ELO se transfere para Porreta Terme, aonde instala sua nova base.

13.04 (sexta) - Morre o Ten. SANTOS ao norte de Casarsa. Ao atacar um depósito de munições o seu P-47 foi atingido pelos estilhaços provenientes da explosão e veio a chocar-se contra o solo. Era a missão 331 do Grupo e a sua 44ª missão.

14.04 (sábado) - A FEB (11º RI, II e III do 1º RI, Artilharia Divisionária e 2 companhias do 9º BE) ocupa Montese.

17.04 (terça) - O Governo anistia todos os presos políticos, inclusive Prestes.

21.04 (sábado) - A FEB (1º RI e 6º RI) ocupa Zocca e Montalto.

22.04 (domingo) - Os pilotos do Grupo, ao final deste dia tinham realizado 44 missões individuais, tendo recebido elogios das mais altas autoridades da Força Aérea Americana. Desde então, esta data passou a ser comemorada como o Dia da Aviação de Caça.

26.04 (quinta) - Morre o Ten. DORNELLES. Após atacar uma locomotiva em Alessandria seu P-47 foi atingido pela Flak e chocou-se contra o solo. Era a missão 413 do Grupo e a sua 89ª.

28.04 (sábado) - A FEB (II/11º RI) ocupa Collechio.

29.04 (domingo) - O 6º RI da FEB capturou a 148ª Divisão de Infantaria alemã e o que havia sobrado das divisões italianas Monterosa e Fuzileiros Navais San Marco, e ocupa Fornovo.

02.05 (quarta) - Rendição incondicional da Itália.

03.05 (quinta) - O General Mascarenhas de Morais dirige aos combatentes brasileiros a seguinte Ordem do Dia: "A ordem de cessar fogo acaba de ser dada a todas as tropas que combatem na Itália. Glória a Deus nas alturas e paz entre os homens de boa vontade na Terra".

05.05 (sábado) - Festa da vitória no Copacabana Clube.

08.05 (terça) - Dia da Vitória - A Alemanha assina a rendição incondicional e a guerra termina no Teatro de Operações Europeu.

14.06 (quinta) - A 1ª ELO é extinta através do Boletim Interno nº 73-A da Artilharia Divisionária do Exército. Os oficiais e praças da Aeronáutica são incorporados ao 1º Grupo de Caça.

27.06 (quarta) - A Ala Aérea 16 em Recife (PE) é desmobilizada.

Julho de 1945 - - Pilotos do 1º Grupo de Caça chegam ao Panamá para pegar aviões P-47 que serão levados em vôo para o Brasil.

04.07 (quarta) - Às 09:10 o Cruzador BAHIA (38), após uma explosão no paiol de munições da popa, afunda levando grande parte da tripulação, consternando todo o País. Ao todo foram perdidos 333 homens, dentre eles o seu Comandante, o Capitão-de-Fragata Garcia d'Avila Pires de Carvalho e Albuquerque.

06.07 (sexta) - O USS GENERAL MEIGS (AP-116) zarpa de Nápoles para o Rio de Janeiro levando o 1º Escalão da FEB e da FAB (4.931 homens).

15.07 (domingo) - A Ala Aeronaval 4 em Recife (PE) é desmobilizada.

17.07 (terça) - Pisam em solo brasileiro no Amapá, os 20 pilotos Brasileiros que estão transportando os P-47 para o Rio de Janeiro. Chega ao Rio o Tenente Marcos Eduardo Coelho Magalhães que se encontrava em um hospital no Norte da Itália, recuperando-se da fratura dos tornozelos, ao saltar de pára-quedas após ser atingido pelo flak alemão.

18.07 (quarta) - Desembarcam, no Rio de Janeiro os Expedicionários da FEB e da FAB que desfilam da Praça Mauá e Avenida Rio Branco até a Praça Paris, na Glória, sendo aplaudidoscalorosamente por uma multidão que se formou ao longo do trajeto. Os aviões da FAB, chegados do Panamá neste mesmo dia abrilhantaram o desfile com suas acrobacias e vôos rasantes sobre o desfile.

01.01.46 (terça) - A Força Expedicionária Brasileira - FEB - é extinta.

1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 Rating 0.50 (1 Vote)

03.01 (segunda) - A FAB envia uma turma de oficiais e sargentos para treinamento em Orlando na Flórida - USA | O esquadrão de dirigíveis ZP-41 se transfere de Fortaleza (CE) para São Luiz (MA).

11.01 (terça) - Tropas da 10ª Região Militar detém 22 sobreviventes do navio alemão Rio Grande que chegaram a Fortaleza (CE).

Janeiro - - Todo o efetivo do 1º Grupo de Aviação de Caça foi submetido a exames clínicos, preparação de documentos, recebimento de materiais e aulas de informações e segurança.

Fevereiro - - Iniciado o deslocamento do pessoal do Grupo em aviões DC-3/C-47 e C-46, em turmas de 20 a 30 militares, sob o comando de um Oficial.

09.03 (quinta) - É estabelecida a Base Aérea Naval (dirigíveis) de Santa Cruz (RJ).

29.03 (quarta) - Aviadores que participaram do afundamento do U-199 são condecorados pelo Governo dos EUA.

31.03 (sexta) - Formatura do Curso da USBATU em Recife (PE) e entrega oficial à FAB de um esquadrão de aviões PV1 Ventura que constituiu o 1º Grupo de Bombardeio Médio, baseado em Recife (PE).

10.05 (quarta) - Formado o 1º Escalão da FEB.

18.05 (quinta) - Morre o 2º Ten. GASTALDONI. Durante um vôo de treinamento em Aguadulce, o seu P-40 mergulhou para o solo sem causa aparente.

06.06 (terça) - Desembarque na NORMANDIA das tropas aliadas e Tropas do 5º e 8º Exércitos ocupam ROMA.

16.06 (sexta) - Chegam a Nápoles os Oficiais da FEB.

26.06 (segunda) - Embarque do 1º Grupo de Caça no (AP-131) - Destino: USA.

02.07 (domingo) - O transporte USS GENERAL MANN (AP-112), escoltado pelos destróiers brasileiros MARCÍLIO DIAS, MARIZ E BARROS e GREENHALGH, parte do Rio de Janeiro com o primeiro contingente da FEB (5.379 homens) com destino a Nápoles. Faziam parte deste contingente: QG/1D; 4ª CIA/11º RI (São João Del Rey); Cia.Ob./11º RI; Pel. Mrt/CPP 2/11º RI; II/1º R.O.Au.R. (Campinho); 1º Pel/Esqd. Rec.; 6º RI (Caçapava); QG/1º DIE; Dst. 9º BE; Dst./Cia. Trans.; Cia. Mnt.; Pel. Pol.; Depos. Int.; Dst. 1ª Cia. Int.; Dst. 1º BS (Valença); Gr. Supl. Hosp.; Justiça Militar, Pagadoria Fixa, Correio Regulador, 3 oficiais da Marinha de Guerra, 11 elementos do Banco do Brasil, 3 capelães e 3 correspondentes de guerra (Sívio S. da Fonseca - DIP, 1 fotógrafo do DIP e 1 fotógrafo do Exército).

04.07 (terça) - Desembarque em Nova York e deslocamento posterior para Suffolk Field em Long Island, para treinamento com os aviões Republic P-47, o famoso Thunderbolt.

16.07 (domingo) - Chega a Nápoles o USS GENERAL MANN (AP-112).

20.07 (quinta) - Através do AVISO Nº 57 é criada a ESQUADRILHA DE LIGAÇÃO E OBSERVAÇÃO -1ª ELO sob o comando do Maj. Av. João Affonso Fabrício Belloc. Torpedeado o navio Vital de Oliveira.

21.07 (sexta) - Às 09:30 a Corveta CAMAQUÃ afunda, virada pelo mar grosso. Morrem 33 tripulantes.

05.08 (sábado) - O 1º Escalão da FEB é incorporado ao 5º Exército dos Estados Unidos.

31.08 (quinta) - O Ministro Vasco Leitão da Cunha reabre o consulado Brasileiro em ROMA.

11.09 (segunda) - Criado o Destacamento FEB, composto por parte do 6º RI, II Grupo do 1º Regimento de Obuses Auto-Rebocado, a 1ª Companhia do 9º Batalhão de Engenharia e outras unidades pequenas, inclusive duas americanas. O seu comandante seria o General Zenóbio da Costa.

15.09 (sexta) - O Destacamento FEB entra na Linha de Frente em Vada-Ostedalettoe.

16.09 (sábado) - O Destacamento FEB saiu vitorioso de seu primeiro teste na 2ª Guerra Mundial, O 1º e o 2º batalhões do 6º Regimento de Infantaria tomaram Massarosa, na Itália, e foram recebidos como heróis pela população local. Os primeiros pracinhas brasileiros, que tiveram festa ao despedir-se do Brasil, chegaram à Itália no dia 16 de julho. Mas demoraram para entrar em combate por falta de armas modernas, que só lhes foram entregues no início de agosto. Os brasileiros partem agora para a tomada de Monte Prano, que é o objetivo da primeira missão. Depois, deverão juntar-se às tropas americanas para a tomada de Monte Castelo, de onde os alemães atacam impiedosamente as forças aliadas ao redor.

18.09 (segunda) - O Destacamento FEB ocupa Camaiore.

20.09 (quarta) - O 1º Grupo de Caça embarca no USAT COLOMBIE no porto de Newport News - NORFOLK - VIRGINIA - EUA com destino à Itália.

22.09 (sexta) - A FEB envia 11 mil homens (2º e 3º escalões da FEB) para a Itália nos navios USS GENERAL MANN (AP-112) e USS GENERAL MEIGS (AP-116), escoltados pelos cruzadores RIO GRANDE DO SUL e USS MEMPHIS (CL-13) e pelos destróiers USS TRUMPETER (DE-180) e USS CANNON (DE-99). Deste contingente faziam parte:
2º escalão: QG/1ª DIE; ID; QG/AD; 1º RI (Regimento Sampaio); I/2º R.O.Au.R.; Esqd. Rec. (2º Pel.); Dst./9º BE (Aquidauana); Dst./Cia. Trans; Dst./1º BS; Depos. Int.; Cia. Int.; 2º e 3º Gr. Supl. Hosp.; Justiça Militar; 2ª Auditoria, 3 oficiais do Exército dos EUA; 5 elementos do Banco do Brasil, 1 correspondente de guerra (Rubem Braga - Diário Carioca), serviço postal e 1 fotógrafo.
3º escalão: QG/1ª DIE; EM/general Falconière; El.Ligação; 11º RI (São João Del Rey); I/1ºR.O.Au.R; I/1º RAPC; Esq. Lig. Obs. (ELO); Dst./9º BE (Aquidauana); Dst./1º BS (Valença); Dst. S/AD; Dst./S Adido à AD; Depos. Int.; Dst. Cia. Int.; Gr.Supl.Hosp.; Posto Regulador, Pel. Sepultamento, Banda de Música, 3 oficiais do Exército EUA e 2 correspondentes de guerra (Egydio Squeff - O Globo e Raul Brandão - Correio da Manhã)

24.09 (domingo) - O General Eurico Dutra desembarcou em Nápoles para uma visita à FEB e ao comando do 5º Exército. Os pracinhas brasileiros adotam o distintivo da "Cobra está fumando".

26.09 (terça) - A bandeira brasileira é hasteada no Monte Prano, após seis dias de batalhas.

30.09 (sábado) - O Destacamento FEB conquista Lama di Sotto, na Itália.

01.10 (domingo) - O Destacamento FEB ocupa Fornaci.

04.10 (quarta) - O Navio USAT COLOMBIE chega a Nápoles porem não foi possível aportar devido ao grande número de navios afundados junto ao Pier. Levantou âncora no dia 5.10.

06.10 (sexta) - O USAT COLOMBIE fundeou no porto de Livorno, tendo o pessoal do 1º Grupo de Caça sido trasnportado até o porto em barcaças de desembarque. Do porto foram até a estação de trem em caminhões e se deslocaram via trem até a cidade de TARQUINIA, aonde estabeleceu sua primeira Base na Itália. O 2º e 3º escalões da FEB e os oficiais da 1ª ELO chegam ao porto de Nápoles.

11.10 (quarta) - A FEB conquista Barga | Desembarque do 2º e 3º escalões em Livorno após 36 horas de viagem em embarcações ligeiras.

16.10 (segunda) - O General Eurico Dutra inspecionou as tropas recém-chegadas nas proximidades de Pisa (Tenuta de San Rossore).

30.10 (segunda) - A FEB conquista Lama di Sotto, Lama di Sopra, Pradescello, Pian de los Rios, Collo e San Chirico.

31.10 (terça) - O 1º Grupo de Caça realiza a primeira missão de combate com o Capitão Pamplona voando como ala de uma esquadrilha do 346th Fighter Squadron | O Destacamento FEB sofre o primeiro revés pois os alemães contra-atacaram a posição conquistada de Pian de los Rios, fazendo com que os brasileiros recuassem para a região norte de Albiano.

01.11 (quarta) - É extinto o Destacamento FEB, suas tropas se reintegram ao contingente da 1ª DIE.

06.11 (segunda) - Morre em combate o 2º Ten. CORDEIRO atingido pela Artilharia Anti-aérea Alemã próximo a Bolonha. Voava como ala de uma esquadrilha do 347th Fighter Squadron. Era a missão 21 do Grupo e a sua 1ª.

07.11 (terça) - Morre durante treinamento o 1º Ten. SAPUCAIA. Problemas com os comandos do seu P-47 que travaram durante um mergulho e ele não conseguiu recuperar o controle do avião.

11.11 (sábado) - O 1º Grupo de Caça realiza a primeira missão como unidade independente dentro do 350th Fighter Group. Decolaram as 08:00, oito P-47 divididos em duas esquadrilhas: a RED (Cap. LAFFAYETTE, Ten. KELLER, Ten.KOPP e Ten. COX) e a GREEN (Cap. PAMPLONA, Ten. COELHO, Ten. ASSIS e Ten. MEIRA), tendo como objetivo de encontrar caças inimigos em Bergamo, Verona e Mantova.

16.11 (quinta) - Morrem os pilotos 2º Ten WALDIR e 2º Ten. RITTMEISTER na Base Aérea de Tarquínia, durante um vôo em que cinegrafistas americanos iriam filmar o 1º Grupo de Caça e os dois brasileiros iriam fotografar. O piloto americano do C-47 fez uma manobra não combinada, chocou o seu avião com o P-47 do 2º Ten. PERDIGÃO. O piloto brasileiro conseguiu saltar mas o C-47 entrou em parafuso, pois perdera parte de uma das asas, e caiu matando todos os seus ocupantes.

23.11 (quinta) - A FEB envia o 4º escalão 4.976 homens para a Itália a bordo do USS GENERAL MEIGS (AP-116) que foi escoltado pelos cruzadores USS OMAHA (CL-4) e RIO GRANDE DO SUL e pelo contratorpedeiro MARCILIO DIAS. Compunham esse escalão: Depósito de Pessoal; Cia. Dep. Int.; Dep. Int. Correio Regulador; Grupo de Tradutores; praças avulsas, 1 correspondente de guerra (Joel Silveira - Diários Associados); 4 elementos do Banco do Brasil; 4 oficiais da Marinha de Guerra e 37 praças da Aeronáutica.

24.11 (sexta) - Primeiro ataque da FEB (III/6º RI, 1º Esquadrão de Reconhecimento e um Pelotão do 9º Batalhão de Engenharia) a Monte Castelo sob ordens da Task Force 45 dos EUA.

25.11 (sábado) - Segundo ataque da FEB (III/6º RI, 1º Esquadrão de Reconhecimento e um Pelotão do 9º Batalhão de Engenharia) a Monte Castelo ainda sob ordens da Task Force 45 dos EUA.

29.11 (quarta) - Terceiro ataque da FEB (I/1º RI e II/11º RI em primeiro escalão e III/6º RI como reserva, 3 pelotões de tanques americanos e dos I, II e IV Grupos de Artilharia da 1ª DIE) a Monte Castelo sob comando da 1ª DIE brasileira.

04.12 (segunda) - A FAB desloca-se para Pisa.

07.12 (quinta) - Chega no Porto de Nápoles o 4º escalão da FEB, e é encaminhado para as proximidades de Pisa (Tenuta de San Rossore).

12.12 (terça) - Quarto ataque da FEB (1º RI - menos o I/1º RI como escalão de ataque, I e III Batalhões do 11º RI como reserva para missão de apoio, I, II e IV e parte do III Grupos de Artilharia, do 9º Batalhão de Engenharia e da 1ª Companhia de Transmissões) a Monte Castelo. O Ministro da Aeronáutica Salgado Filho visita o QG da FEB em Porreta Terme na Itália.