Quinta, 23 de Novembro de 2017
1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 Rating 5.00 (8 Votes)

Imagem:Luis Gabriel

caca 2006 1 20150218 1373385974
O Brig. Rui Moreira Lima, Veterano mais antigo presente, hasteia a flâmula do 1º Grupo de Caça que esteve na Itália tendo ao fundo o famoso P-47 Thunderbolt

 

Rio de Janeiro, 22 de Abril de 2006.

As comemorações dos Veteranos para o Dia da Caça começaram com o tradicional almoço do dia 21 de abril, realizado no Clube de Aeronáutica do Rio de Janeiro. Contando com a participação de Veteranos, familiares, autoridades, e contando este ano com a ilustre participação do cartunista Ziraldo, o almoço transcorreu com o tradicional clima de camaradagem e harmonia que há mais de 60 anos une estes companheiros e que os descendentes procuram cultuar. Tal fato é verdade que várias pessoas que estavam ali no almoço são viúvas e filhos e netos de Veteranos que já faleceram, mas que fazem questão de manter unida esta família que é o 1º Grupo de Caça.

No dia seguinte, 22 de abril, num sábado de muito sol, a Base Aérea de Santa Cruz foi palco das comemorações do Dia da Aviação de Caça. A cerimônia foi presidida pelo Ten-Brig. Bueno, Comandante da Aeronáutica, e contou com a presença de Veteranos, militares da ativa e da reserva, filhos e netos dos Veteranos e convidados civis. lém disso, a festa foi abrilhantada pela presença do Ten-Cel. Marcos Pontes, o primeiro cosmonauta brasileiro.

A cerimônia militar foi realizada no Memorial Senta a Pua!, na BASC, e começou com o acendimento da pira que simboliza a chama do piloto de caça. Depois o Ten-Cel. Oliveira, Comandante do 1º Grupo de Caça, fez um discurso sobre a importância do Dia da Aviação de Caça e da participação da FAB na 2ª Guerra Mundial. O Ten-Cel. Oliveira encerrou seu discurso com a tradicional "chamada" nominal de todos os pilotos da FAB que pereceram durante a Campanha da Itália. Neste momento de grande emoção, a cada nome citado todos respondem em voz alta: "PRESENTE!" e a guarda de honra faz disparos de festim.

Em seguida os Brigadeiros Rui Moreira Lima e Luiz Carlos da Silva Bueno foram convidados a depositar flores no túmulo do Brigadeiro Nero Moura, patrono da Aviação de Caça e Comandante do 1º Grupo de Caça na Itália. O Brig. Bueno retornou ao seu lugar no dispositivo e o Brig. Rui hasteou a flâmula que esteve com o 1º Grupo de Caça nos campos de Tarquínia e Pisa, ao som do hino da Aviação de Caça, o Carnaval em Veneza.

A solenidade no Memorial encerrou-se com a leitura do pronunciamento do Comandante da Aeronáutica e do Ministro da Defesa alusivos ao Dia da Aviação de Caça, ambos lidos pelo Brig. Luiz Carlos da Silva Bueno. Ao final de seu discurso o Brig. Bueno saudou os caçadores com o grito "A LA CHASSE!", o Brig. Rui aproveitou e a plenos pulmões bradou: "SENTA A PUA!", ao que foi respondido por todos com o grito de: "BRASIL!"

O próximo evento foi a chegada do Ten-Cel. Marcos Pontes à BASC nos comandos de um avião A-1 AMX. O Ten-Cel. Pontes foi recebido pelas autoridades e dirigiu-se ao cinema da base, onde centenas de pessoas aguardavam sua chegada. O Ten-Cel. Pontes fez uma apresentação de uns 40 minutos sobre os 8 anos de estrada que ele teve que percorrer desde a sua escolha como o representante brasileiro a ir ao espaço, até sua volta da viagem até a Estação Espacial Internacional. Comentou vários detalhes e até curiosidades sobre os preparativos para o vôo e sobre a viagem de ida e volta. Tudo num clima muito descontraído e com muita clareza.

Encerrada a palestra do Ten-Cel Pontes, este se dirigiu ao Cassino dos Oficiais para uma coletiva de imprensa e no cinema ficaram apenas os militares e os Veteranos, para uma conversa reservada com o Comandante da Aeronáutica. Neste momento, nós os parentes dos Veteranos ficamos literalmente "à deriva" pois nem podíamos ficar na coletiva de imprensa, reservada aos jornalistas, nem no cinema, reservado aos militares. Esta situação ainda perdurou por mais tempo pois após a conversa do Comandante com os militares e Veteranos houve um coquetel restrito a eles. Realmente é uma pena que isto tenha acontecido pois como já foi dito anteriormente não é este o espírito da família do 1º Grupo de Caça, e foi extremamente constrangedor ver filhos e netos de Veteranos sendo literalmente "barrados".

A programação teve ainda a encenação da famosa "Ópera do Danilo", interpretada pelos pilotos de caça e com o valoroso acompanhamento da banda de música da BASC. A ópera foi acompanhada por um coro de pilotos no palco e pela platéia, que acompanhou através do telão, a letra da canção.

O encerramento da programação foi o Almoço do Caçador, que também coroou o encerramento da Reunião da Aviação de Caça 2006.

imagem001 Outras imagens - Clique aqui para ver a fotogaleria deste artigo