Sábado, 18 de Novembro de 2017
1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 Rating 4.45 (11 Votes)

O Veterano Osias Machado conduz o estandarte do 1º GAvCa à frente da tropa, durante o desfile militar, dentro do jipe encontra-se também o Brig. Meira, um dos 3 pilotos ainda vivos da Campanha da Itália. Crédito: Flávio Lins de BarrosFechando as festividades referentes à aviação de caça, aconteceu neste 22 de Abril a comemoração do Dia da Aviação de Caça. Esta festa que congraça não só os atuais pilotos de caça das 11 unidades espalhadas pelo território nacional, mas também ex-pilotos, ex-militares e também os Veteranos do 1º GAvCa e seus familiares.


No dia 17 foi encenada a tradicional Ópera do Danilo , num belíssimo cenário consrtuído dentro do hangar do Zepellin. A novidade deste ano foi a seleção de músicas clássicas que substituíram as canções brasileiras que recheiam a versão original da ópera.

No dia 18 foi a vez dos caças A-1, F-2000 e F-5 "abraçarem" a cidade do Rio de Janeiro. Os caças fizeram duas passagens nos céus do Rio: após decolarem de Santa Cruz percorriam a orla carioca e retornavam à base passando pelos bairros da zona norte e zona oeste.

A semana começou no dia 20, com o "Almoço do Caçador" na Base Aérea de Santa Cruz. A novidade este ano foi que o convite se estendeu aos filhos, netos e bisnetos dos Veteranos do 1º GAvCa.

No dia seguinte, 21, o almoço foi no Clube da Aeronáutica, e marcou o 39º encontro anual dos Veteranos do 1º Grupo de Aviação de Caça e da 1ª ELO. Antes do almoço o Cel Capelão Campos celebrou uma missa de ação de graças no salão do INCAER e posteriormente abençoou uma placa de agradecimento dos Veteranos ao Clube da Aeronáutica, que foi descerrada pelo Brigadeiro José Rebelo Meira de Vasconcelos. A surpresa foi a presença do Brig. Rui Moreira Lima, que encontra-se em recuperação de sua saúde, e mostrou fibra e tenacidade ao comparecer neste evento, e como não poderia deixar de ser fez um pequeno discurso em que deu um leve "puxão de orelha" na idéia de mudar o conteúdo musical da Ópera do Danilo.
Além dos Veteranos e seus familiares, o almoço contou com a presença do Presidente do Clube da Aeronáutica, Brig. Baptista, do Presidente da ABRA-PC, Brig. Menezes, e de alguns militares da ativa, dentre eles o Brig. Mendes, Comandante do III COMAR, o Brig. Egito, Comandante da III FAe, o Cel. Caputo, Comandante da BASC e o Ten-Cel Lorenzo, Comandante do 1º Grupo de Caça. Podemos destacar ainda dois eventos: o sorteio de diversos brindes (21 perfis e 5 livros gentilmente doados pela Editora Adler, e 2 DVD Senta a Pua doados pelo site Sentando a Pua) e o bolo comemorativo do 39º encontro anual.

Finalmente, no dia 22, aconteceu a solenidade militar alusiva ao Dia da Aviação de Caça. Iniciando com a Cerimônia do P-47, foi seguida a tradiconal sequência: acendimento da pira, palavras do Comandante do 1º Grupo de Caça, chamada nominal dos pilotos perdidos na guerra, deposição de flores no túmulo do Brig. Nero Moura, hasteamento da flâmula do 1º Grupo de Caça e canto do Hino da Aviação de Caça, o Carnaval em Veneza.

No intervalo entre a Cerimônia do P-47 e a solenidade militar, os convidados puderam visitar uma exposição estática das aeronaves de caça dentro do hangar do Zepellin. Na sequência foi realizada a solenidade militar no pátio oeste, presidida pelo Ministro da Defesa, Nelson Jobim. Após passar a tropa em revista, o Ministro assistiu em companhia do Comandante da Aeronáutica, Juniti Saito, e demais autoridades militares, a entrega do Troféu Pacau ao Piloto Mais Eficiente de cada unidade de caça. Este ano, a unidade que venceu o TAC - Torneio da Aviação de Caça foi o 1º Grupo de Aviação de Caça.

Após receber o estandarte do 1º Grupo de Caça do oficial mais moderno, o Veterano Osias Machado convidou os demais Veteranos a ocuparem seus lugares a bordo dos veículos militares antigos. A tropa de Veteranos do 1º GAvCa foi quem abriu o desfile, seguida pela tropa de militares da ativa e da reserva que já serviram em uinidade de caça. Fechando o desfile veio o contingente da BASC ao som do Carnaval em Veneza e do Hino do Aviador.

Devido a falta de espaço, apenas parte dos convidados foi deslocada para o estande de tiro. Lá foi possível acompanhar o desempenho dos nossos caças, tanto no bombardeio quanto no straffing dos alvos.

Para fechar com "chave de ouro" o coquetel este ano foi servido dentro do hangar do Zepellin, na área usada para a encenação da Ópera do Danilo. O cenário contou até com um P-47 de verdade, emprestado pelo Museu Aeroespacial. Como não poderia deixar de ser gostaríamos de agradecer o apoio que nos foi dado pelo Comandante do 1º GAvCa, Ten-Cel Lorenzo, e do seu Relações Públicas, o Ten. Duque.

imagem001Outras imagens - Clique aqui para ver a fotogaleria deste artigo