Domingo, 19 de Novembro de 2017
1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 Rating 4.50 (6 Votes)

E para não dizer que tudo era só trabalho, inauguramos em dezembro o nosso tão badalado Clube, o Copacabana, instalado no 1º andar de nosso quartel.

Ao lado, estava instalado o clube do 350th Fighter Group, que disputava com o nosso a maior presença das "Signorinas" para os bailes, e que deveriam ser apanhadas, em caminhões utilizados comumente para transporte de tropa, nas cidades vizinhas de Luca e Viaregio.

Acontece que nosso "primo pobre" Grupo de Caça, só dispunha de um veículo, liberado a duras penas pelo Cap. Sabrosa para o transporte das damas, enquanto os gringos, "primos ricos" esnobavam com quatro a cinco veículos.

Entretanto, as prendadas "ballerinas" assim que desembarcavam dos veículos do Tio sam, disfarçavam e de fininho iam para o Copacabana dançar e comer os famosos lanches preparados pelos nossos cucas Oriel, João Alexandre, José Albino, Daniel Mariano etc.. Um pouco antes do final do "ballo" elas aos poucos iam saindo do nosso Clube indo para o salão dos gringos.

Uma bela noite, no final do rala-rala, os americanos, de cara cheia, resolveram que não iriam transportar, de volta, as meninas em seus trucks. O motivo alegado era muito simples: "quem pariu Mateus que o embale" isto é, os brasileiros teriam que transportar todas as bambinas em um só caminhão.

A zorra estava formada e em poucos minutos, saiu uma briga, para ninguém botar defeito, envolvendo todos pinguços que se encontravam no local. Como sempre,em toda a boa briga, a gente bate e a gente leva, e no final, entre mortos e feridos salvaram-se todos. Alguns milicos, de ambos os lados, que não quiseram participar da disputa, resolveram festejar o evento, trazendo dos dois clubes, vinhos e cervejas. Como por um milagre, a briga acabou no ato e todos, principalmente aqueles que estavam de olho rôxo, nariz sangrando e outras equimoses normais desses eventos passaram a encher o pote, acompanhados pelas meninas, que pela matina, foram levadas em um comboio misto para suas cidades.

A partir de então, ficou combinado com as damas, que elas deveriam frequentar os dois clubes, solução salomônica que contentou a todos.