Sexta, 17 de Novembro de 2017
1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 Rating 4.21 (7 Votes)

O movimento na Taberna era intenso. A maioria das mesas estavam ocupadas por mulheres da noite, cafetões, boêmios, nossa turma do 1º Grupo de Caça, composta de 8 pessoas, marinheiros do Tio Sam, alegres e barulhentos e que já estavam prá lá de Marrakesh e finalmente alguns fuzileiros navais acompanhados de mulheres.

Estávamos num papo animado regado a chope bem gelado quando a briga começou entre os fuzileiros e os americanos. Era briga de vale-tudo, desde soco, passando por pernadas, rasteiras, rabo de arraia e a tudo o que tinham direito os valentes.

Como era de se esperar, a briga acabou sobrando para nossa turma e quando dei por mim, estava no chão, de pernas para o ar com cadeira e tudo. A briga, que teve o seu primeiro round iniciado as 23:15 do dia 04.03.1944, foi concluída, por motivo de fôrça maior, as 02:15 h da madrugada do dia 05.03, com a chegada de 3 patrulhas militares, a da marinha brasileira, a da FAB e a da marinha americana, solicitadas que foram pelo gerente da Taberna da Gloria muito sabiamente.

Ponderamos ao tenente que comandava a patrulha da FAB que íamos nos apresentar no Aeroporto Santos Dumont as 05:30 daquele dia para embarcar para a Guerra. Após uma espinafração em regra, fomos levados de carona no veiculo da FAB até nosso local de embarque.

As 05:00h com a chegada de amigos e familiares, começaram as despedidas com direito a choro e abraços das noivas, namoradas, mães e pais.