Quarta, 22 de Novembro de 2017
1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 Rating 0.00 (0 Votes)
pv2harpoon em tres vistas
imagem001 galeria do PV-2

 

 

Ficha Técnica

Fabricante Lockheed Aircraft Company
Modelo PV-2 Harpoon
Ano Entrada Serviço 1944
Produzidos 2.335
Motor Dois Pratt & Whitney R-2800-31 radiais a pistão refrigerados a ar com 2.000 hp cada.
Envergadura 22,86 m
Comprimento 15,85 m
Altura 3,99 m
Área da Asa 63,73 m²
Peso Vazio 9.538 kg
Peso Máximo 15.272 kg
Tripulação 5
Armamento Cinco metralhadoras fixas .50 localizadas no nariz, sendo duas na parte superior e três na parte inferior, duas .50 numa torre dorsal, duas .50 na torre ventral, oito foguetes HVAR de cinco polegadas montados em cabides sob as asas e capacidade para até 1.815 Kg de bombas.
Velocidade Máxima 454 km/h
Velocidade Cruzeiro 275 km/h
Teto 8.000 m
Alcance 2.880 km podendo chegar a 4.715 km

 

História

O PV-2 Harpoon nasceu de uma ampla revisão do projeto PV-1 Ventura visando otimizar suas características de avião de reconhecimento marítimo. Como a revisão tornou-se maior do que o esperado, foi criado um novo número de designação - Vega Modelo 15. Assim como seus predecessores, o Harpoon foi construído na subsidiária da Lockheed, Vega, que havia sido absorvida pelo complexo industrial da Lockheed Aircraft como Fábrica A-1.

Operando com sua carga máxima, o PV-1 Ventura, antecessor do Harpoon, apresentava um modesto desempenho na decolagem. Para melhorar isso, a área da asa foi aumentada passando de 51,19 m² para 63,73 m². Com o aumento das asas, abriu-se espaço para melhorar a capacidade dos tanques de combustível passando para 1.863 galões - tanques internos mais dois tanques externos sob as asas. A área da cauda dupla vertical também foi aumentada melhorando a estabilidade. Os motores originais do PV-1 foram mantidos, pois, apesar do Harpoon ser mais pesado e com isso ter menor razão de subida, compensaria com melhores alcance e desempenho na decolagem. Em junho de 1943 a US Navy (Marinha de Guerra dos EUA) fez uma encomenda de 500 unidades sob a designação de PV-2.

O Harpoon fez seu primeiro vôo solo em dezembro de 1943. Nos primeiro testes ficou constatado que as asas tendiam a dobrar-se. Foi feita uma rápida redução de 1,8 m (seis pés) na envergadura para conseguir asas com flexibilidade uniforme, porém a mudança não surtiu efeito. Então a Lockheed resolveu reprojetar as asas fazendo com que a entrada em serviço do Harpoon fosse atrasada. Nesse meio tempo, os trinta primeiros PV-2 entregues à Marinha com o problema nas asas foi rebatizado de PV-2C. Eles também apresentavam problemas no lacre dos tanques de combustível interno e foram redirecionados para missões de treinamento usando tanques externos. Emrazão dessas dificuldades, no final de 1944 apenas 69 PV-2 foram aceitos pela Marinha.

Quando solucionados os problemas pela Lockheed, três novas encomendas foram feitas totalizando 908 unidades. Esses novos Harpoon foram designados com PV-2D. Entratanto, apenas 35 foram entregues antes do final da guerra fazendo com que o contrato fosse cancelado. A entrega das últimas unidades deu-se em setembro de 1945. Apesar dos problemas iniciais, o avião mostrou-se depois, extremamente confiável e chegou a combater no Teatro do Pacífico na batalha das Ilhas Aleutas. Após a guerra, muitos Harpoon passarm a operar na aviação comercial como aeronave de transporte VIP.

 

fontes: Warbird Alley, Naval History of WW2 e US Military Aircraft