Sábado, 18 de Novembro de 2017
1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 Rating 0.00 (0 Votes)
V-65 em três vistas
imagem001 galeria do V-65B/66B

 

 

Ficha Técnica

Fabricante Chance Vought Corp.
Modelo Corsair V-65B (convencional) / 66B (hidroavião)
Ano Entrada Serviço 1933
Produzidos 37 V-65B e 8 V-66B - Todos para as Forças Armadas Brasileiras
Motor Um Pratt & Whitney R-1890C "Hornet" radial à pistão refrigerado a ar de 600 hp
Envergadura 11,23 m
Comprimento 7,98 m
Altura 3,25 m
Área da Asa n/d
Peso Vazio n/d
Peso Máximo 1.987 kg (V-65B) / 2.050 kg (V-66B)
Tripulação 2
Armamento Duas metralhadoras Browning (V-65B)
Uma metralhadora Colt .30 fixa na parte frontal da asa superior, uma metralhadora Colt .30 móvel na parte traseira da cabine e mais previsão para bombas em cabides sob as asas (V-66B)
Velocidade Máxima 274 km/h (V-65B) / 262 km/h (V-66B)
Velocidade Cruzeiro n/d
Teto 6.096 m (V-65B) / 5.944 m (V-66B)
Alcance 982 km

 

História

O modelos V-65B e e V-66B Corsair originaram-se do O3U, a primeira aeronave produzida pela Vought Aircraft a ser testada em tamanho real num túnel de vento. O O3U foi a matriz para uma série de aviões além dos já mencionados V-65/66B. Todos designados como Corsair. Os V-65 (B/C/C1 e F) eram praticamente iguais aos SU-2, sendo que trinta e sete foram construídos e exportados para o Brasil na variante "B" no ano de 1933. Ainda no mesmo ano, outros quarenta e dois na variante "C" foram vendidos à China. Entre 1933 e 1934 foram produzidos os modelos "C1" e "F". Dentre os "C1" produzidos, onze eram com trem de pouso e outros quatro equipados com flutuadores. Todos eles foram exportados para China e Argentina.

Logo após a Força Aérea Brasileira ter encomendado os V-65B, a Marinha fez uma outro pedido de oito unidades, todas equipadas com flutuadores que receberam a designação de V-66 uma vez que eram atualizações do V-65. A partir de então, todo o Corsair SU e O3U para exportação passou a ser chamado de V-66.

fonte: Vought Heritage