Sábado, 18 de Novembro de 2017
1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 Rating 5.00 (1 Vote)
P-36 em três vistas
imagem001galeria do P-36

 

 

Ficha Técnica

Fabricante Curtiss Airplane
Modelo P-36A
Ano Entrada Serviço 1938
Produzidos 1.000 (estimado)
Motores Um Pratt & Whitney R-1830 radial à pistão de 1.050 hp
Envergadura 11,38 m
Comprimento 8,69 m
Altura 2,57 m
Área da Asa n/d
Peso Vazio 2.060 kg
Peso Máximo 2.563 kg
Tripulação 1
Armamento Uma metralhadora Browning .50, três .30 e previsão para bombas leves.
Velocidade Máxima 504 km/h
Velocidade Cruzeiro 402 km/h
Teto 11.338 m
Alcance 1.336 km

 

História

O Curtiss P-36 foi o primeiro de uma nova geração de caças a entrar em serviço junto ao USAAC (United States Army Air Corp). Foi contemporâneo de outros caças famosos como os ingleses Hawker Hurricane e Supermarine Spitfire e do alemãp Messerschmitt Bf 190, todos da segunda metade da década de 30 do século passado.

Sua origem vem do Modelo 75, projeto vencedor de uma competição para um novo modelo de caça do US Army em maio de 1935.

O projetista-chefe era Donovan A. Berlin, ex-projetista da Northrop, por isso o Modelo 75 lembrava muito os estudos de outros projetos da Northrop. O protótipo do Modelo 75 teve o registro civil com a designação X-17Y. Era um monoplano todo em metal com as estruturas metálicas dos comandos de superfície (flaps, ailerons e parte móvel da deriva vertical) revestidos em tecido. A cabine de comando era fechada por uma capota deslizável. Tanto o trem de pouso principal como a bequilha na cauda eram retráteis. Ainda com relação ao trem de pouso principal, foi utilizado um sistema para seu recolhimento desenvolvido pela Boeing que consistia em girar os dois trens de pouso num ângulo de 90º para trás e então recolhidos fazendo com que se pudesse projetar os porões menos profundos e com isso melhorar a aerodinâmica.

O primeiro protótipo foi construido em 1934 e a competição pelo contrato durou três anos pois a Curtiss acusou sua rival, Seversky, de ter atrasado a competição devido a problemas com seu protótipo que se acidentara.

No final, a Curtiss acabou vencedora da concorrêcia e produziu cerca de 1.000 P-36 tendo sido 227 para o USAAC, 753 exportados e 25 produzidos sob licensa em diversos países.

Os únicos combates em que os P-36 do USAAC se envolveram durante a Segunda Guerra foram durante o ataque da Marinha Imperial Japonesa à Pearl Harbor, quando quatro P-36A conseguiram decolar e atacar uma formação de nove torpedeiros Nakajima B5N1 "Kate", da segunda onda de ataque, tendo abatido dois.

Em 1942, dez P-36A foram transferidos para a Força Aérea Brasileira.

fontes: Shanaberger Aviation e Warbird Alley