Quinta, 23 de Novembro de 2017
1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 Rating 0.00 (0 Votes)
P-40 em três vistas
imagem001galeria do P-40

 

 

Ficha Técnica

Fabricante Curtiss Airplane
Modelo P-40
Ano Entrada Serviço 1940
Produzidos 13.738
Motor Um Allison V-1710-81 a pistão em linha de 1.360 hp
Envergadura 11,38 m
Comprimento 10,16 m
Altura 3,76 m
Área da Asa 21,83 m²
Peso Vazio 2.239 kg
Peso Máximo 4.254 kg
Tripulação 1
Armamento Duas metralhadoras de 12 mm (motor) seis metralhadoras de 12,7 mm (três em cada asa) e mais 560 Kg de bombas em fixadores abaixo das asas
Velocidade Máxima 608 km/h
Velocidade Cruzeiro n/d
Teto 11.582 m
Alcance 386 km

 

História

O caça-bombardeiro P-40 foi o último da famosa série de aviões de combate "Hawks" produzido pela Curtiss Aircraft nas décadas de 30 e 40 do século XX, guardando certa semelhança com seus predecessores, o P-36 Hawk e o Sparrowhawk.

Em unidades produzidas, só perdeu para o P-47 e P51 dentre os aviões militares americanos. Seu protótipo inicial foi o primeiro caça dos EUA a exceder as 300 mph (482 km/h). Seu projeto remonta à 1937, passando por diversos protótipos antes da versão final entrar em serviço em maio de 1940. Naquele mesmo ano 200 unidades já haviam seido entregues para a USAAC (Força Aérea do Exército dos EUA) e mais 185 para a Grã-Bretanha onde receberam o nome de Tomahawk Mk I.

Em seus primeiros combates, o P-40 mostrou a necessidade de melhor blindagem e tanques de combustível auto-selantes, tendo essas modificações sido incluídas no modelo "B", chamado pelos ingleses de Tomahawk MK IIA. Na sequência veio o modelo "C" com novas melhorias nos mesmos pontos. Tudo isso acabou criando um grande problema para o P-40: o desempenho. Cada novo aperfeiçoamento na blindagem e nos tanques de combustível, mais peso ele ganhava, e, como o motor não havia sido mudado, pior era seu desempenho.

Para solucionar isso, a Curtiss Aircraft lançou o modelo "D", com um motor Allison V-1710 mais potente. Ainda aproveitou para reforçar o armamento colocando duas metralhadoras adicionais nas asas. Como a aparência externa mudou um pouco em virtude do novo motor, a RAF (Força Aérea Britânica) mudou o nome de Tomahawk para Kittyhawk.

A versão "E" ficou famosa pelo Grupo de Voluntários Americanos do General Claire Chenault - Os Tigres Voadores - que ajudou a combater a Força Imperial Japonesa na China. A última versão foi a "N", da qual foram produzidas 5.200 unidades, um recorde entre os diversos modelos de P-40.

fontes: Warbird Alley e Naval History of WW2