Sexta, 17 de Novembro de 2017
1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 Rating 4.83 (6 Votes)
DSC_2363_102411 NOV 2011, Rio de Janeiro - Momentos marcantes da história da Aeronáutica e projetos que buscam torná-la ainda mais operacional foram lembrados na manhã desta sexta-feira (11/11) no Parque de Material Bélico do Rio de Janeiro (PAMB-RJ). Em solenidade militar, foi celebrado o primeiro Dia do Material Bélico da Força Aérea Brasileira (FAB). A cerimônia teve a presença do Comandante da Aeronáutica, Tenente Brigadeiro do Ar Juniti Saito, e de oficiais generais do Alto Comando.


Veteranos que combateram na Segunda Guerra Mundial também estiveram presentes. Segundo o Brigadeiro do Ar Rui Moreira Lima, veterano do Primeiro Grupo de Aviação de Caça (1º GAVCA), a atuação dos militares especialistas em armamento e material bélico foi decisiva para o sucesso da missão brasileira na Itália. “Foram recrutados os melhores sargentos de armamento que estavam na Força Aérea naquele época”, lembra o piloto, que cumpriu 93 missões de combate na Segunda Guerra.

No presente, os desafios na área de material são tão grandes quanto no passado. “Estamos com uma série de projetos, desenvolvendo mísseis e bombas. Temos grandes desafios pela frente, mas certamente vamos enfrentá-los de forma a equipar cada vez melhor a nossa Força Aérea”, garante o Comandante Geral de Apoio (COMGAP), Tenente Brigadeiro do Ar Ricardo Machado Vieira.

DSC_2297_1024“Nosso maior desafio são as novas tecnologias, com a integração de armamentos inteligentes às plataformas”, destaca o comandante do PAMB-RJ, Coronel Aviador Cláudio Aragão. De acordo com ele, o 11 de novembro homenageia todos os militares que trabalham silenciosamente nos hangares, esquadrões e seções de material bélico de todo o país.

DSC_2301_1024Na solenidade, estiveram presentes familiares do Tenente Coronel Especialista em Armamento Jorge da Silva Prado, que combateu na Segunda Guerra Mundial e que foi instituído como patrono do material bélico na Aeronáutica. “Foi uma pessoa de vontade, competência e capacidade”, lembra o Brigadeiro Rui.