Quinta, 23 de Novembro de 2017
1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 Rating 5.00 (2 Votes)

Imagem:LAAD 2005

laad 2005 7 20150218 1128833615

 

O Sentando a Pua! esteve no Riocentro entre 26-29 de abril cobrindo a Latin America Aero & Defence '05, feira internacional sobre tecnologia aeroespacial e defesa que ocorre a cada dois anos na cidade do Rio de Janeiro.

Nesta 5ª edição o Brasil se fez presente não só nos estandes nacionais como também nos internacionais. A razão para tal foi a discussão dos diversos programas de modernização de aeronaves da FAB, tendo como carro-chefe o programa F-X BR para substituição dos Mirage IIIBR do 1º GDA de Anápolis (GO).

 

Novo Projeto F-X na LAAD

Como já amplamente noticiado na imprensa, o F-X BR foi concluído em fevereiro de 2005 sem vencedores, porém, pouco tem sido noticiado que um novo projeto, já apelidado na imprensa especializada de F-XB (alusão a um suposto plano B) encontra-se em curso, onde estão sendo analisadas as opções de compras de caças usados.

O interesse demonstrado pela Sukhoi e Gripen International, ambas com presença marcante na feira, em oferecer aeronaves que possam atender as especificações da nova concorrência demonstra que, apesar dos caminhos tortuosos do projeto F-X BR o mercado mantem-se atento.

No segundo dia da feira, quarta-feira 27, a Gripen International, que é a organização responsável pelo marketing e exportação do SAAB Gripen JAS-39 deu uma coletiva à imprensa informando que havia apresentado uma proposta à FAB em início de abril sobre a possibilidade de oferecer Gripen JAS-39A/B usados da Real Força Aérea Sueca. Como aquela força aérea cancelou parte da encomenda de 204 aeronaves e substituirá os primeiros modelos A/B pelos mais recentes C/D, haverá um excedente de pelo menos 40 aeronaves Gripen no mercado internacional. A vantagem é a idade das aeronaves, pois têm entre 5 e 6 anos de uso enquanto a concorrência ofereceria produtos com 15/20 anos de uso. A desvantagem é que nenhum dos caças Gripen A/B oferecidos terão capacidade para reabastecimento em vôo (REVO).

No mesmo dia 27 a Rosoboronexport, principal empresa exportadora russa de produtos de defesa, também concedeu uma coletiva onde informou que "há grandes perspectivas de oferecer aviões russos à FAB". Os aviões russos em questão poderiam ser uma versão modernizada dos Sukhoi SU-27 que está sendo apresentada ao mercado batizada de SU-27SKM.

 

Governo fecha com EADS contratos para P-3BR e projeto CX

No último dia da LAAD, 29 de abril, o governo brasileiro fechou dois contratos aguardados há algum tempo - a compra e modernização de oito aeronaves Lockheed P-3 Orion de patrulha e esclarecimento marítimos (320 milhões de euros) e a compra de doze cargueiros de médio porte EADS CASA C-295 (238 milhões de euros) para substituir os DeHavilland Buffalo C-115. Os C-295 atuarão no projeto SIPAM (Sistema de Proteção da Amazônia).

O Brasil também esteve presente nos stands da Lockheed Martin, onde se destacava uma maquete do Embraer 145 pintado nas cores do Exército dos EUA. Desde 2003 a Embraer trabalha em parceria com a fábrica americana e a Harris Corporation para fornecimento de uma nova geração de sistemas de vigilância e reconhecimento, conhecido como ACS, para aquela força.

Na Dassault uma maquete do Mirage IIIBR com as cores da FAB estava exposta ao lado de uma outra do Mirage 2000 e do Rafale, numa clara alusão a possibilidade de uma dessas novas aeronaves ser adquirida pela FAB. Sobre isso, comenta-se que o Rafale C poderia ser uma opção de compra para os próximos 5 anos. Ele viria através da Embraer da qual a Dassault possui 20% e a expectativa é que seu valor unitário caia até US$ 40 milhões. As primeira unidades chegaram a serem oferecidas por US$ 100 milhões mas seu custo já está sendo avaliado em US$ 50 milhões/unidade para compra pelo governo de Cingapura.

A feira contou com a participação de de delegações de Alemanha, Espanha, EUA, França, Holanda, Índia, Israel, Itália, Rússia, Suécia entre outras além é claro do Brasil.

 

Helitech 2005

No mesmo período, 26-29 de abril, aconteceu a Helitech 2005, voltada à aeronaves de asas rotativas. A feira aconteceu em conjunto com a LAAD e ocupou uma parte do pavilhão 4 e uma das áreas externas do Riocentro.

No pátio externo, diversos helicópteros estavam em exposição estática com destaque para o russo Mil MI-171 "Baikal" e o Sikorsky Black Hawk do 4º Esquadrão de Aviação do Exército sediado em Manaus.

O Mil MI-171 SH é uma evolução do já consagrado cavalo de batalha Mil MI-8, helicóptero multi-função e extremamente robusto que equipa forças de diversos países inclusive na América do Sul (Peru). Atualmente o MI-171 SH ainda é uma ave rara no céu nacional, porém, a situação promete mudar com a entrada daquela aeronave em operação por um empresa carioca. A representação comercial será feita por uma empresa de Campinas-SP.

imagem001 Outras imagens - Clique aqui para ver a fotogaleria deste artigo