Sábado, 18 de Novembro de 2017
1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 Rating 3.00 (1 Vote)

Bom, a minissérie acabou, e um pouco da história do João Milton Prates foi contada com ela. Espero ter agradado. Algumas pessoas conversaram comigo no Campo dos Afonsos, quando gravei lá as cenas que aconteciam dentro dos aviões. É muito bom saber que estavam prestando atenção nos detalhes, como por exemplo, que o Prates já não era mais o piloto do avião do Juscelino quando ele se tornou presidente. Na verdade, como o Juscelino e ele eram muito amigos, ele se tornou um assessor pessoal nesta fase. Mas, para facilitar o entendimento do público em uma história tão complexa, e que tinha um número limitado de capítulos pra ser contada, algumas arestas tiveram que ser polidas. Acho que o trabalho feito pelos autores foi fenomenal, a história foi muito bem contada dentro dos limites impostos a ela.

Hoje mesmo conversei com o filho do João Milton que mais me ajudou a montar o perfil do personagem, o João Ricardo Prates. Foi bom saber que ele aprovou meu trabalho. Preciso ainda conversar com o Comandante Fernando Rocha e o Brigadeiro Rui Moreira Lima, outros dos meus consultores e amigos que fiz neste trabalho. Eles permitiram que a biografia do Prates fosse contada da melhor maneira possível dentro da minissérie.

Bom, na parte prática, acredito que alguns vão gostar de saber como eram feitas as cenas de aviação. Todas elas foram gravadas no Campo dos Afonsos. Usamos vários aviões, desde o famoso “Mata Sete” até Viscounts e o Electra que está lá! Pra mim foi um prazer inenarrável poder entrar nestes famosos aviões, alguns deles inclusive que transportaram o Presidente Juscelino quando ativos! Normalmente o avião escolhido era embicado no hangar, uma cobertura era colocada em volta das janelas e a iluminação era afinada. Ventiladores e gelo seco (ou água, quando eram tempestades) eram usados para simular o vôo. A gente dava umas balançadinhas dentro da cabine e... voilá! Fiquei impressionado com a qualidade das imagens!

E, claro, como tenho alma de aviador, não pude resistir à tentação... entrei no P-47 que participou na campanha da Itália! Claro, com o consentimento da equipe do museu. Que sensação... saber o que aquele avião passou... e que ele estava lá, e eu dentro dele! Bom, amigos, acho que é isso... gostaria muito de saber a opinião de vocês, que são envolvidos com a aviação, sobre o João Milton Prates apresentado na minissérie. Se possível, mandem um e-mail para mim contando o que acharam! Prometo que respondo a todos. O endereço é Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Abraço!

imagem001 Outras imagens - Clique aqui para ver a fotogaleria deste artigo